Athaliba e a Firma – Política (Legendado)

Muitos parágrafos da história do RAP no Brasil já foram escritos. Cada detalhe dessa biografia nos dá hoje muitas páginas, todas elas descritas com o seu determinado grau de importância. Mas para que a gente possa contar o seu começo,…

Athaliba e a Firma - Política (Legendado)

Source

0
(0)

Muitos parágrafos da história do RAP no Brasil já foram escritos. Cada detalhe dessa biografia nos dá hoje muitas páginas, todas elas descritas com o seu determinado grau de importância. Mas para que a gente possa contar o seu começo, temos que fazer uma retrospectiva até o primeiro álbum lançado por determinado grupo, certo? Falar de música e não falar do primeiro disco, da primeira gravação e do primeiro registro é algo fora de contexto. Pois bem! Em 1988 até já existiam coletâneas de RAP nacional, mas foi exatamente nesse ano que um grupo chamado Região Abissal entrou em estúdio e produziu o álbum Hip RAP Hop, entrando para a história como o primeiro disco completo de um grupo de RAP no Brasil. E nosso entrevistado fez parte desse momento histórico! Athalyba Man e mais outros seis caras eternizaram seus nomes na biografia do RAP. Mas vou deixar essa história ser contada por quem a viveu.
Gagui – Você fez parte de uma geração pioneira do RAP nacional. Mas antes disso como foi seu envolvimento com a música?

Athalyba Man – Nasci no miolo da Bela Vista, próximo da quadra da escola de samba Vai-Vai, então o samba é raiz, juntamente com a Black Music, que me surgiu através do disco Sex Machine, do James Brown. Então como qualquer adolescente negro da época, minha vida era samba e as noites nos bailes blacks. Mais tarde passei a ouvir bastante MPB, mas no geral sempre fui bastante eclético, ouvindo tudo que me agradava, não importando que tipo de música era, se me agradava eu ouvia.

How useful was this post?

Click on a star to rate it!

Average rating 0 / 5. Vote count: 0

No votes so far! Be the first to rate this post.

As you found this post useful...

Follow us on social media!

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!

Tell us how we can improve this post?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *